paz_na_lua

 
Rejestracja: 2010-09-21
Ad infinitum
Punkty31więcej
Następny poziom: 
Ilość potrzebnych punktów: 169
Ostatnia gra

paz..

fogo
fogo da paz
paz
paz de água
água
água de luz
luz
luz escondida
escuridão
escuridão linda
linda
linda referência
referência
referência da ausência
ausência


a fusão

o lobo está na esquina, do seu lado um cachorro chamado "amor incondicional"
arrogante, orgulhoso até temido ele anda, esnobando
o cachorro, por sua vez sempre o apóia, da bons conselhos, fala sobre a liberdade
que cachorro irritante, sempre de língua de fora, como pode ser meu único amigo?
olhe, olhe, achei um pedaço de osso, você pode roer para passar o tempo, vem o cachorro todo sorridente
saia daqui, não acordei bom hoje... tudo bem, tudo bem
passam por um bosque, uma cachoeira.. terminando-se em fusão total, tornam-se o ser humano


escrita

vamos dizer que o ouro é a coisa mais linda do mundo
o brilho
que vem
da manhã
que o espelho é muitíssimo valioso
que as mulheres como os homens são iguais
pais e mães
choros, velas
que a letra nos lapidou
veloz, impetuosa
que o choro nos lavou
que a impureza não existe mais
o caminho é cheio de galhos e diamantes
os números nos aprofundaram em um abstrato infinito azul
e estamos, aqui, estudando massas
Jesus nasceu e renasceu
e quem Ele visitou?
do socorro, à discórdia

Sobre escolhas

Sobre escolhas
hoje,
existe um lado material e um espiritual
a loucura e o real
uma pedra preciosa e o metal
uma sacada, intelectual
o cinza, o verde e o vitral
a barca, o barco e o temporal
a tartaruga genial
o triangulo de ouro
o círculo de fogo
a princesa do gelo
o mesmo e o mesmo
a ideia principal
o contraste e o degradé
o raio de sol
o maestro escutando
o mar e a vida
a brisa, mesmo no lar
o recomeço
o atar do cadarço
o arrumar do chinelo
o profeta pregador
o poder nas mãos do cego
a lama aperfeiçoada, ou condicionada
o vento azul
abstrato iluminado
as cartas, os retalhos
as borboletas com sua missão
a lagarta na prisão
a chispa e o chafariz
se não souber para onde ir,
siga o seu coração..

Sentado à beira do portão.......

Sentado à beira do portão
os sentidos
o bolo de chocolate
o abacate
o som da fonte, a vida colorida, os corredores
descendo a escada, da fertilidade, que chama
o amador errante
o portal que é a mulher, com estrias exuberantes
bonita, com ou sem anel de diamante
o silêncio em escuridão
o tocar do piano
o dançarino com forte (presença)semblante
o choro do passageiro, do viajante
raso ou profundo
estrela do anoitecer, confundindo o admirador, o almirante
que em seu barco veleja
e quebra a onda ao som de alguma trombeta, ou berrante
o morango, presente para o presente, e também...
o bêbado que viveu o woodstock
que de música vivia
hoje de terno fala o óbvio, que chamava careta
com caneta de mão, muda de opinião
o filho, seu irmão
sobe a escada de baixo, vendo o céu por alguma janela, de algum prédio de alguma qualquer cidade
e chama, a chama que envolve a Terra, é amiga, mesmo colega, de letra(caligrafia) perfeita
e eu, nem entendo os meus rabisco
ando no sertão ou no deserto, machuco a mão fazendo vórtices(cactos) de lápis
sendo que as estrelas são glitter derramado por algum "desajeitado"
respeito a escrita, a escritura
o meu modo
de conversar e conservar o meu diálogo interior
o blues vem com a solidão
sentado à beira do portão
sentado à beira do portão